• Por
  • Esp
Como controlar o fluxo de caixa do condomínio 05 de dezembro de 2018

Como controlar o fluxo de caixa do condomínio

Cuidar das contas de um prédio ou conjunto residencial não é fácil. Sem ter uma boa organização, pior ainda. O fluxo de caixa do condomínio ajuda a controlar as finanças e para tomar boas decisões. Mas, como fazer isso? Essa é uma dúvida comum entre muitos síndicos. Basicamente, você usa uma planilha para armazenar as informações.

Conforme as contas e pagamentos chegam, você cadastra, tendo uma visão financeira global interessante. Continue lendo nosso conteúdo e descubra quais os pontos essenciais no controle do fluxo de caixa do condomínio. 
Além disso, saiba o que não pode faltar nesse documento tão importante. Vamos em frente!

Inclua todas as despesas

O fluxo de caixa do condomínio precisa conter todas os gastos mensais. Eles podem ser fixos ou variáveis. Fixos são aqueles com um valor pré-definido, que se repete a cada mês. 

Um exemplo é um plano de internet, folha de pagamento de funcionários, seguros, impostos, entre outros. Existem também as despesas variáveis, cobradas todos os meses, mas com valores diferentes. Telefone, água, luz, gás, são exemplos bem claros desses gastos. Ainda, podem haver aquelas despesas surpresas. Quebrou o portão e você precisa consertar, por exemplo. Nunca esqueça dessas informações.

Calcule as receitas 

Quanto dinheiro entra no caixa do seu condomínio? Essa informação faz parte da base de um bom controle de fluxo de caixa. Inclua as cotas condominiais, multas, alugueis e todas as receitas registradas em cada mês.

Crie o hábito de atualizar a tabela

Sempre que houver uma movimentação, atualize os campos correspondentes na planilha. No começo, parece uma tarefa muito trabalhosa e chata. Mas, com o tempo, você vai perceber que é uma forma de manter tudo em ordem e facilitar a sua gestão. 

Quanto mais detalhado o fluxo de caixa do condomínio, mais fácil será a prestação de contas obrigatória no fim de cada ano.

Use as informações ao seu favor

Com um fluxo de caixa do condomínio atualizado, você pode melhorar a gestão. Isso, através de informações sobre as finanças, gastos que podem ser cortados e recursos que podem ser investidos. 

Isso mesmo, o fluxo de caixa não é só um documento para dar transparência da gestão, mas também para fortalecê-la. Muitos síndicos já usam e aprovam essa prática administrativa.

Crie o fluxo de caixa do condomínio agora 

Agora você já sabe quais são os pontos principais do fluxo de caixa do condomínio, o que não pode faltar e quais são as vantagens. O momento certo de começar é agora. 

Crie uma tabela e comece a preencher com as informações. Siga uma rotina de registros com disciplina, em pouco tempo essa tarefa será um hábito, acredite!